segunda-feira, 2 de junho de 2014

RESENHA: A Casa de Hades - Rick Riordan

Postado por Pri às 18:03


Olá gente, voltei depois de mil anos (exagero nenhum, imagina?!). Minha internet abandou-me nesse fim de semana e foi triste, mas hoje estamos aqui e vamos a resenha, dessa saga que sou fã e também toda torcida do Flamengo!


RESENHA:

A capa segue com a mesma proposta de arte, uma gravura mostrando um pouco sobre o que se passa na historia. Um fato curioso é a expressão de Percy na capa, apresar de estar com Contracorrente na mão, o olhar dele é de puro medo, esse pequeno detalhe traz todo terror que ele passará na historia.

Esse terceiro livro da saga me deixou em agonia (não a famosa ressaca) literária. Tudo que você quer é o quarto e ultimo livro agora! Para os meus pobres e aflitos nervos, já foi anunciado a data (que é a mesma dos gringos) de lançamento, UFA!

Jurava que o livro começaria com Percy ou Annabeth, mas para minha surpresa estamos no ArgoII e sob ataque. Os 5 semideuses lutam para superar o desafio de chegar a Casa de Hades e fechar as Portas da Morte. Para isso, eles terão que se superar para enfrentar os perigos.

Nesse meio, Riordan nos mostra como andam as coisas no Tártaro, Percy e Annabeth lutam para sobreviver em um lugar inóspito, venenoso e cheio de inimigos. A sorte deles é Bob, o ex-titã Jápeto, que perdeu a memoria e agora é amigo de Percy. Graças ao titã, eles são guiados e protegidos no Tártaro. Eu gostei muito dessa parte, porque vi que Riordan não amenizou, fez Percy sofrer com maldições, quase morrer, mas nos mostrou o amor sincero que ele tem por Annabeth e vice versa. 

Nós já conhecemos Percy e seus feitos, vimos a superação de Annabeth no segundo livro "A Marca de Atenas" e vimos Jason crescer muito em "O Herói Perdido", mesmo achando que ele precise de mais e vai acontecer não só com ele, mas com os outros. Isso fará com que todos enfrentem os desafios da Casa de Hades.

Para mim o que surpreendeu foi Riordan colocar os conflitos pessoais e internos mais profundos, isso deixou a historia mais adulta e vimos o amadurecimentos dos personagens. A questão de confiança e do medo de fracassar torna esses heróis, filhos de deuses, tão imperfeitos, mostrando que no final são tão humanos quanto você, eu e qualquer outra pessoas. E claro sempre tem aquele medo da profecia, de que qualquer um dos 7 pode não sobreviver.

Agora de cara o que mas me deixou apaixonada pelo livro, foi a sua narração feita pelos 7 semideuses. Foi uma surpresa, não esperava isso mesmo. Agora isso acabou me deixando não com raiva e sim meio "corta-clima" sabe? A gente estava lendo um capitulo narrado por Percy bem tenso e do nada ele termina e começa o outro capitulo narrado por Frank. Sinto que o Rick Riordan queria deixar aquele suspense, mas como deixar todos nós tensos e depois, do nada, mudar o clima?! Me sentir é uma montanha-russa.

Bom, para finalizar, eu adorei o livro, melhor que o seu anterior, que me deixou um pouco confusa, mas igualmente ótimo. Adorei o Tártaro, principalmente e não porque é Percy e sim porque vimos que amizade verdadeira às vezes vem daquela pessoa que a gente menos espera. Agora, que venha o ultimo livro da saga...LOGO!

Espero que tenham gostado, eu sou suspeita para falar e o ultimo livro da saga, "O Sangue do Olimpo", terá seu lançamento em outubro (longe eu sei, estou morrendo aos poucos aqui), mas ao menos já estamos mais perto do que longe não é?!

Beijinhos, Pri

Livro atual: Destrua Esse Diário - Keri Smith
Musicas do post: "Smile Like You Mean It", "All These Things That I've Done", "When You Were Young", "Read My Mind" - The Killers

2 comentários:

Raissa Martins disse...

Amo os livros da saga Percy Jackson, mas ainda não pude ler essa série. Estou muito curiosa.

O Outro Lado da Raposa

Estante Diagonal disse...

Infelizmente ainda não li nada do Rick Riordan, sei lá ainda não me deu vontade mesmo sabe =/ mas pretendo conhecer alguma obra dele, acho que sera por Percy Jackson mesmo.

Beijos Joi Cardoso
Estante Diagonal

Postar um comentário

 

Closett Garden Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos